Veja o que esperar do futuro dos esportes frente à incerteza gerada pela epidemia do novo coronavírus.

 

Desde o seu início, a pandemia COVID-19 se espalhou para quase todos os países do mundo. 

 

Medidas de distanciamento social e físico, bloqueio de empresas e escolas se tornaram comuns para reduzir a propagação da doença, mas também interromperam muitos aspectos regulares da vida, incluindo esportes e atividades físicas. 

 

No artigo de hoje falaremos sobre como a pandemia pode ter afetado o futuro dos esportes no Brasil e no mundo.

O MODELO DE NEGÓCIOS DO ESPORTE

Para começar, o básico. Em termos mais simples, existem três fontes principais de receita para ligas e campeonatos esportivos: transmissão (vendas de direitos de mídia), comercial (patrocínio e parcerias de publicidade) e receita de dias de jogo (ingressos e consumo de produtos).

 

Os campeonatos profissionais são análogos às empresas de entretenimento, em que cada equipe é como um canal diferente. 

 

As equipes têm suas próprias identidades, funcionários e bases de fãs, mas a “programação” geral (as regras do jogo e a lista de jogos) é definida pelo alto escalão. 

 

É justamente por afetar essas fontes de receita que as medidas de prevenção ao coronavírus impactaram diretamente nos resultados e na economia no mundo dos esportes.

O IMPACTO DA COVI